Logo
  • Selo 100% PJe
  • Selo Prata CNJ
  • Instagram
  • SoundCloud
  • Youtube
  • Facebook
  • Twitter
  • Flicker

TRT/CE recebe categoria Prata no Prêmio CNJ de Qualidade

b_0_200_16777215_0_0_images_comunicacao_imagens_site_2020_11_novembro_2020_cnj_capa_noticia_site.jpg

O desempenho dos tribunais brasileiros de todos os ramos de Justiça é avaliado anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). No dia 27 de novembro, a Justiça do Trabalho do Ceará foi agraciada na categoria Prata no Prêmio CNJ de Qualidade, considerando critérios sistematizados em quatro eixos temáticos. Governança, Produtividade, Transparência e Dados e Tecnologia foram os indicadores que embasaram a avaliação de desempenho dos tribunais premiados.

A solenidade de premiação fez parte da programação do XIV Encontro Nacional do Poder Judiciário, promovido pelo CNJ. Os vencedores foram anunciados durante a segunda edição do Prêmio CNJ de Qualidade, criado em 2019. Onze tribunais foram premiados na categoria Diamante, a mais alta da premiação. Além desses, outros 22 tribunais foram congratulados na categoria Ouro, e 28 como Prata.

De acordo com o site do CNJ, os critérios de avaliação dos tribunais foram aperfeiçoados e adequados à realidade do país, inclusive sendo considerada a situação emergencial com o enfrentamento da pandemia do coronavírus. Para cada um dos requisitos, foi atribuído um valor de pontuação, com itens diferenciados por segmento de Justiça.

“No ano passado não conseguimos alcançar essa premiação, mas neste ano conquistamos, o que demonstra que o TRT/CE evoluiu enquanto órgão, mesmo diante de tantas limitações e dificuldades”, comemora o secretário-geral da Presidência, Fernando Freitas.

Edição 2020

A secretária de Gestão Estratégica do TRT/CE, Patricia Cabral, destacou que a Portaria CNJ nº 88 apresentou avanços em relação ao ano anterior, tendo sido implementadas mudanças nos critérios de pontuação e avaliação a pedido dos tribunais. A servidora reforçou que foi incorporada a definição de parâmetros de classificação por segmento de Justiça, ou seja, Estadual, Federal, do Trabalho, Eleitoral, Militar e Tribunais Superiores, e não mais no modelo de ranking geral. “A mudança foi uma sugestão dos tribunais para que os critérios de avaliação observassem de maneira mais paritária os participantes”, ressaltou a secretária.

Conheça todos os ganhadores do Prêmio CNJ de Qualidade aqui.