logotipo comemorativo dos 80 anos da Justiça do Trabalho
  • Selo 100% PJe
  • Selo Prata CNJ
  • Instagram
  • SoundCloud
  • Youtube
  • Facebook
  • Twitter
  • Flicker
Política de Cookies

O Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT7) utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no portal implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais do TRT7.

Novo portal do TRT/CE tem destaque em acessibilidade

Em dezembro do ano passado, os sites dos tribunais da Justiça do Trabalho passaram por reestruturações em seus layouts, no intuito de se obter uma padronização nacional. Nesse cenário, o portal do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE) conseguiu destaque em acessibilidade.

O portal cearense é o único da Justiça do Trabalho em todo o país cuja página inicial atinge o índice de 100% na plataforma de avaliação do Governo Federal “Avaliador e Simulador de Acessibilidade em Sítios (ASES)”. A amostra contempla os 24 tribunais regionais, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT). Oton Pinheiro, técnico de TI do TRT/CE, mostra-se satisfeito com o resultado, mas pondera que “é importante destacar que essa avaliação de 100% é apenas da página principal do site. Cada página pode ser colocada no avaliador para saber o quanto ela atende aos requisitos de acessibilidade, segundo os critérios do Governo. Além da inicial, escolhemos algumas páginas do site para passar no validador e todas essas foram avaliadas de 90% a 100%”, explica o servidor, que participou do projeto de implantação do novo portal.

O ASES é uma plataforma de avaliação brasileira desenvolvida no final de 2018 pelo então Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, hoje pasta do Ministério da Economia, para realizar análises de acessibilidade de sites de acordo com as recomendações contidas no Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG). Tal modelo tem o compromisso de ser o norteador no desenvolvimento e a adaptação de conteúdos digitais do Governo Federal, garantindo o acesso a todos.

Ainda sobre o novo site do TRT/CE, Oton afirma que “um dos objetivos da atualização do layout foi estruturar melhor todo o código-fonte do portal para atender ao modelo de acessibilidade do Governo, a fim de proporcionar uma melhor experiência no uso do site por pessoas com deficiência, facilitando a utilização de um leitor de tela, por exemplo, que é utilizado por pessoas com deficiência visual”.

Para realizar a avaliação no ASES, é preciso fornecer a URL do portal, fazer upload de um arquivo com o código-fonte da página ou ainda copiar o código-fonte, colar na área de edição e clicar em “Executar”. Ao fim da análise será fornecido um relatório com uma porcentagem de zero a cem, indicando o nível de acessibilidade do ambiente, além de uma lista de erros e avisos que devem ser verificados para melhorar o nível de acessibilidade da interface.

Prática

Paulo Cardoso, servidor aposentado do TRT/CE com deficiência visual, avaliou positivamente o portal e destacou a evolução. “O novo site está bem fácil de usar. Por meio do leitor de tela NVDA, consegui acessar todos os campos, as áreas e os formulários de edição. A antiga versão já era boa, mas tinham algumas páginas que não dava para acessar. Melhorou nessa nova versão”.

Convidado para testar o site, Dimarange Moraes, técnico de TI do Banco do Brasil e deficiente visual, atenta para questões importantes para existir boa acessibilidade em sites. “Quando há imagens que são relevantes para a definição de um link ou outro elemento do site, é importante uma imagem vinculada ao link”.

Ele fala, também, de falhas de acessibilidade comuns em portais. “Páginas com acessibilidade ruim não possibilitam inserção de texto em formulário de edição. Além disso, não dão acesso a botões, caixas de acesso e itens similares”, completou Dimarange.

 

Maria de Fátima Carvalho, que possui necessidades especiais em relação à visão, fez a experiência de navegar pelo portal do TRT/CE. “Está tudo muito acessível. Consegui acessar todos os recursos e botões disponíveis. Dá para entender as publicações sem dificuldades”, afirma a regente de coral.

Fátima falou um pouco sobre como foi possível navegar pelo portal mesmo com necessidades especiais de visão. Ela também utilizou o programa NVDA para auxiliá-la no uso do computador. “Com a ajuda do programa, é possível ler as notícias por meio das setas e acessar os links através do tab. Como o site não é muito carregado de imagens, o leitor funciona bem”, finaliza.

Comissão de Acessibilidade

Deven Moura, diretora da Divisão de Material e Logística e integrante da Comissão de Acessibilidade e Inclusão do TRT/CE, festejou a conquista do portal do Tribunal. “A Justiça do Trabalho do Ceará tem como um de seus principais valores a inclusão. Então, a gente fica muito feliz que o nosso site seja acessível para todos”.

A servidora ressalta conquistas recentes no âmbito da acessibilidade no TRT/CE, como a contratação de serviços para higienização de acervos da Associação dos Pais e Amigos de Deficientes Auditivos (Apada) e a instrução de processo para comprar cadeiras de rodas para as varas do interior do estado. Além disso, a Sala de Sessões do Pleno do TRT/CE foi reinaugurada em dezembro de 2019 com novos implementos de acessibilidade, como rampas e plataforma elevatória.